Lollapalooza Brasil 2017: Vale à pena ir ao festival?

Este ano o festival aposta em nomes como Metallica, The Strokes, Rancid e Duran Duran. Saiba se o Lollapalooza desse ano está valendo à pena.



HISTÓRICO DE DESVALORIZAÇÃO RECENTE DO LINE UP

O Lollapalooza com certeza é um dos maiores festivais em atividade no Brasil e ocorre todos os anos em São Paulo desde o seu lançamento em 2012.

Estreou no país trazendo grandes bandas como Foo Figthers, Joan Jett and the Blackhearts, Arctic Monkeys e  Jane’s Addiction,  e desde então tem agradado muitos e conquistado uma onda de novos fãs que confirmam presença em todas as edições do evento e esperam ansiosamente a confirmação do line up ano após ano.

Já em sua segunda edição, trouxe uma versão expandida do festival com três dias aonde vieram bandas importantes como Pearl Jam, Queens of the Stone Age, The Killers, The Black Keys, Kaiser Chiefs, The Hives e Franz Ferdinand.

Já em 2014 concentrou grandes nomes em dois dias como Soundgarden, Muse, Nine Inch Nails, Imagine Dragons ,Arcade Fire, Pixies e New Order. Até então o festival era referência em qualidade  em sua grade de escalação. Até que em 2015, temos o primeiro Line Up fraco do Lolla BR.

Em 2015 de nomes relevantes só tivemos Jack White, Robert Plant e The Smashing Pumpkins distribuídos em dois dias e dividindo espaço com vários outros de popularidade temporária ou pouca expressão.

Em 2016 melhorou um pouco no nível de relevância do line up, mas deixou o rock de lado e apostou no rap com  Eminem e Snoop Dog (o segundo teve que cancelar o show), no alternativo acústico tivemos Mumford & Sons e no indie a Florence + the Machine. Um dos poucos representantes do rock foi o Noel Gallagher (ex-Oasis).

RETORNO DO ROCK AOS HEADLINERS EM 2017

Em 2017 o festival voltou ao seu foco original que era o rock e alternativo e irá trazer como headliners  principais o Metallica no sábado com abertura do Rancid. E  The Strokes no domingo com abertura do Duran Duran.

A lacuna é preenchida, como é tradição todos os anos, com artistas que estão em ascensão na cena alternativa como The XX, 1975, The Weeknd, Tove Lo, MØ, Two Doors Cinema Club, dentre outros.  Além de diversos DJ’s que, ao contrário das edições anteriores, têm tomado cada vez mais destaque no Line Up e descaracterizando um pouco a proposta original do festival,  ficando cada vez mais parecido com um Tomorrowland.

PREÇO DOS INGRESSOS

Sem dúvida o melhor line up do Lollapalooza Brasil foi o ano de 2013 onde trouxe a maior concentração de bandas grandes por dia de evento. Além do preço dos ingressos estarem bem acessíveis à época custando R$ 290 reais a inteira (R$ 145 meia entrada!).

Hoje, está sendo cobrado por dia quase o dobro do que foi cobrado em 2013, R$ 540 reais a inteira (R$ 270 meia entrada). Um valor bem superior à inflação do período.

Mesmo pesando tanto assim no bolso o festival ainda vale à pena?

Devemos considerar que ultimamente a meia-entrada está um tanto banalizada, e como o público do Lollapalooza é de maioria jovem (e estudante), o valor cobrado no ingresso tipo inteira acaba sendo apenas simbólico (para que a produtora não tenha prejuízo acaba elevando o valor do ingresso tipo inteira para compensar o valor cobrado na meia-entrada).

Têm direito garantido à meia entrada  estudantes, idosos ou portadores de necessidades especiais. Mas mesmo assim, o alto valor dos ingressos impede que eles sejam comprados na modalidade inteira e dessa forma acaba acontecendo diversas promoções.

Como a já tradicional Quinta 2×1 da Tickets For Fun (Empresa responsável pela venda dos ingressos), ou promoções esporádicas como ocorreu esse ano na Black Friday que vendeu ingressos 50% OFF.

Então o público atento  acaba pagando meia de qualquer forma.

CUSTO X BENEFÍCIO

Para quem é fã de rock ( e ainda não conseguiu ver o Metallica ao vivo), pode ir somente ao sábado e curtir a banda, que está com um excelente álbum novo, e aquecer na abertura com o punk rock dos anos 90 do  Rancid e os brasileiros do Doctor Pheabes.

Para aqueles menos conservadores vale a pena chegar bem cedo e trilhar pelo festival para conhecer bandas mais leves, porém interessantes como The Outs e Cage the Elephant.

Para quem gosta de um som mais alternativo, indie rock ou ainda indie-pop tem de representantes a Tove Lo, The 1975, The XX, Suricato e Glass Animals.

Então, se você é fã do Metallica e paga meia-entrada já vale à pena só pela banda!

Se você não gosta de Metallica têm diversas opções para todos os gostos espalhadas á rodo por ali.

Já o domingo por trazer um nome menor como o The Strokes como artista principal tentou-se compensar trazendo um de igual relevância para abertura o Duran Duran.

Mais cedo  tem uma banda promissora o Silversun Pickups que são uma espécie de mistura de Smashing Pumpkins  e The Pixes, bom para conhecer.

Temos alguns nomes no alternativo que atraem algum público como  The Weeknd, e Two Doors Cinema Club além da cantora brasileira Céu.

Mas no domingo ficou faltando um headliner de mais peso.

Então ele só vale à pena se for comprado junto com o pacote do dia anterior para compensar o desequilíbrio. Salvo exceções como se você for muito fã do The Strokes ou Duran Duran, mesmo sendo bandas menores.

EXPERIÊNCIA

Vale lembrar que a experiência do festival em si é muito bacana, não há pista premium ou derivados (ou melhor, existe um espaço chamado de Lounge mas fica bem longe dos palcos e por sorte não interfere na experiência de ninguém e até passa despercebido), você tem acesso à todos os ângulos do palco e existem opções de assistir sentado e com ótima visão em alguma parte elevada do Autódromo de Interlagos, a gastronomia é excelente, mas  infelizmente a bebida é cara como em qualquer evento do tipo.

VEREDITO

  • Se você comprar ingresso tipo meia-entrada ou conseguiu comprar na promoção: Vale à pena! Sábado, domingo ou o passaporte para os dois dias!
  • Se você comprar ingresso tipo inteira: Você mora próximo de São Paulo e não gastar muito com deslocamento e hospedagem, nunca viu o show do Metallica, ou se já viu está ansioso para ver a nova turnê… Vale à pena! Com um pouco de esforço.  Por que o custo do passaporte de um dia está na média de um show individual da banda, visto que você tem livre acesso ás proximidades do palco e ainda ganha vários shows bônus.
  • Se tiver que pagar inteira + Passagem aérea + Hospedagem: Não vale à pena.
  •  Mas se você têm dinheiro sobrando e gostar de uma só banda em qualquer dia ou vai só pela festa e DJ’s tá liberado! 😀

O importante é se divertir!

Vale lembrar que a concorrência de festivais está forte esse ano com o Maximus Music Festival (Que aposta em um público focado e traz diversas bandas relevantes em um único dia), e o Rock in Rio (Que tudo indica trará um line up histórico esse ano).

Estes dois festivais  estão com um custo benefício mais atraente do que o Lollapalooza Brasil têm oferecido ultimamente.

Agora basta aguardar que essa concorrência faça os festivais melhorarem cada vez mais nas próximas edições e oferecerem preços mais competitivos para os fãs de música.

A dica para finalizar é que para valer a pena o dia inteiro de festival você precisa ter a intenção de assistir pelo menos 7 nomes do line up. Dizemos intenção pois é muito difícil assistir 7 shows inteiros, uma meta realista é 4 shows inteiros e vários pedaços de shows. Assim você ficará ocupado e com fôlego do início ao fim do evento.  Mas se você optar em assistir menos bandas deve avaliar o valor do ingresso considerando somente as bandas que tiver interesse e dessa forma concluir se vale à pena ou não.

Qual sua conclusão? Acha que o festival está valendo à pena esse ano? Comente!

Confira o Line Up completo do Lollapalooza Brasil clicando aqui!

Leia dicas de sobrevivência no festival clicando no link à seguir: Não Fique Perdido 2#: Lollapalooza Brasil 

Acesse o nosso Guia de Viagem para shows e festivais!